Notícias

Criando raízes​​​​​​​

Para uma vida saudável, que tal ter a sua própria horta? O item já integra área comum de muitos condomínios. “A ideia é importante, visto que alguns apartamentos não permitem que se desenvolva uma horta, já que são espaços pequenos que não cabem a plantação. A técnica, então, deve ser aplicada no projeto do condomínio, o que faz que todos vivam de modo saudável”, pontua o arquiteto Roberto Wagner Araújo.

 

Ele aponta que uma horta também ajuda na educação das crianças, com uma visão sustentável, e melhora o ambiente do condomínio.

 

Já o engenheiro civil e gerente de engenharia da CDT Incorporações, Thiago Nejm, conta que a ideia de aplicar uma horta foi discutida para agregar ao condomínio um item a mais de socialização, ao mesmo tempo em que levanta uma questão ambiental, estimulando a consciência ecológica. “A horta comunitária é uma excelente opção para proporcionar a agricultura orgânica, para gerar alimentos saudáveis e para contribuir na estética das áreas de diversão do condomínio”, diz.

 

Além disso, o engenheiro comenta que, na criação do espaço, o indicado seria uma impermeabilização com manta asfáltica no local e uma terra adequada para o cultivo. A plantação ainda pode ser feita em vasos, em canteiros ou em uma área pequena dentro do jardim. O planejamento da criação da horta, no entanto, deve ser realizado no projeto do condomínio ou em assembleia pelos moradores.

 

O engenheiro civil e diretor do GBFOR , Márcio Rios, conta que discutir e aplicar soluções eficientes para os moradores se tornou um dos focos de especialistas em construções sustentáveis. “É uma estratégia paisagista pensar na horta. É preciso, deste modo, inserir o máximo de verde na edificação, tendo em vista que a cidade de Fortaleza tem perdido muito de sua cobertura vegetal”, diz.

 

“Cabe ao condomínio colocar verde, planta e vegetação. Em outros países, isto tem se tornado lei, posto que é uma tendência global o cuidado com a saúde dos moradores”. O especialista ainda enfatiza que a solução serve de modo educacional e alimentício, já que os moradores cultivam o seu próprio alimento de forma mais orgânica e saudável.

 

Márcio pontua, no entanto, que durante a construção do espaço é preciso consultar um engenheiro agrônomo e civil, já que a parte estrutural, como irrigação, infiltrações e impermeabilização, é prioridade para os cuidados da horta. Além disto, depois da construção, deve ficar acertado que os condôminos que cuidam, visto que são atividades simples, como plantar, molhar e colher. Em alguns casos, os moradores contratam jardineiros especializados.

 

Em vista disto, o condomínio utiliza uma parte do jardim, cria orçamentos para tratar do solo e projeta o uso de sistema de irrigação, telas, canteiros e outros materiais. Já os recipientes móveis, por exemplo, evitam a necessidade de um espaço físico e ainda garantem economia na construção e estrutura da horta. O lixo orgânico funciona como adubo para a terra, o que traz sustentabilidade e renda extra com materiais de jardinagem. 

 

DICAS

 

Como preservar uma horta em condomínio

 

1 – O local escolhido para a horta necessita de várias horas de sol por dia, uma vez que as plantas, frutos e alimentos exigem uma iluminação natural muito mais aberta que um jardim.

 

2 – É necessário conversar com um especialista que indique a profundidade das plantações, quais plantas e frutos usar nas diferentes épocas do ano e como retirá-los sem machucá-los.

 

3 – Os condôminos também precisam entrar em um acordo sobre quais frutos serão apreciados pelo condomínio, uma vez que todos moradores possuem acesso ao espaço.

 

4 – É importante aplicar adubos naturais, como lixo orgânico, restos de comida, folhas, gramas, galhos e outros.

 

5 – Também é necessário irrigar ao amanhecer, já que durante o dia não tem ninguém no condomínio para realizar a atividade.

 

6 – O solo dos canteiros e vasos deve estar arejado, algo que facilita o oxigênio do solo e que garante maior produção.

 

7 – É preciso chegar a um consenso sobre se cada condômino garante o seu alimento ou se uma única pessoa faz a colheita e distribui entre os demais.

 

Fonte: http://www.opovo.com.br/